A Prefeitura vai escolher as novas empresas de ônibus e, mais uma vez, não vai ouvir a população! No dia 29/08, ela publicou o edital da licitação (processo de escolha das novas empresas de ônibus). O problema é que o governo não realizou uma consulta pública! Mas se pressionarmos ele ainda pode voltar atrás, como já fez em outras ocasiões. Agora, a Justiça ainda suspendeu liminarmente a licitação determinando que sejam realizadas consultas e audiências públicas!

Por que isso é um problema?

1) 204 mil campineiras e campineiros usam o transporte público todos os dias. Estamos falando de uma grande parcela da população que depende do ônibus para suas atividades rotineiras e cuja experiência deveria ser prioridade na formulação do contrato.

2) Pagamos a passagem duas vezes. Além de pagar a tarifa do ônibus, pagamos (através de impostos) R$ 6 milhões todo mês para manter o equilíbrio financeiro das empresas. É um dinheiro que não vemos, mas que sai do nosso bolso.

3) Temos a passagem mais cara do país e a qualidade não reflete isso nem de longe. É comum ver ônibus velhos, sujos, quebrados pela rua, bancos quebrados, além de linhas mal distribuídas, que invariavelmente não estão no horário e um sistema de compra e recarga da passagem que não é eficiente. Esse modelo sempre foi pensado a portas fechadas e chegamos nesse ponto.

4) O contrato vai definir como o dia a dia do busão vai funcionar pelos próximos 15 anos. Esse é o tempo de duração do contrato, que ainda pode ser renovado por mais 5 anos. A população precisa acompanhar pra que o contrato beneficie as pessoas que usam o transporte público porque é nele que se decide como todo o sistema vai funcionar.

Não podemos deixar que essas decisões sejam tomadas sem a participação de quem mais precisa e sofre com o transporte público. Por isso, entendemos como fundamental que seja realizado um processo de consulta pública. A ideia é que, por 90 dias, a Prefeitura divulgue de maneira compreensível, proativa e ampla a proposta final de contrato com as empresas de ônibus, realizando eventos para explicar a proposta para a população, tirar dúvidas e receber as sugestões. Depois disso, ela deve sistematizar todas as contribuições e justificar porque recusou e aceitou cada uma. É urgente que a população campineira participe da formulação do transporte público! O TCE-SP suspendeu a licitação e o MP-SP também recomendou uma consulta pública.

Envie um email a seguir para o Secretário de Transportes Carlos José Barreiro exigindo uma consulta pública ampla e bem divulgada!

ENVIE UM EMAIL AO SECRETÁRIO DE TRANSPORTES EXIGINDO QUE A POPULAÇÃO SEJA OUVIDA!

Who will you press? (1 target)
Pessoas exigiram uma consulta pública




O edital de licitação é composto por uma série de documentos publicados no portal de licitações da Prefeitura de Campinas. Lá o acesso não e tão fácil, então facilitamos aqui para você.
A) Edital


1. Informações Gerais
2. Projeto Básico de Concessão
3. Mapas das Linhas
4. Especificações Técnicas da Frota
5. Infraestrutura de Garagens
6. Avaliação de Qualidade
7. Modelagem Econômico-Financeira
7.1. Definições Aplicáveis à Modelagem Econômico-Financeira
8. Comunicação Visual Veicular
9. Sistemas Inteligentes de Transporte
10. Atendimento ao Usuário
11. Regulamento Operacional
12. Manual de Capacitação dos Operadores
13. Programa de Acessibilidade Inclusiva - PAI
14. Período de Transição






Durante um mês de 2017, recebemos histórias de absurdos do busão.
Nesse pequeno período de tempo já dá pra ter uma noção dos absurdos diários vividos por campineiras e campineiros.



Essas foram alguns dos absurdos enviados pra gente.














Sabia que, de acordo com a lei, quando usamos o transporte público - além de cidadãos com direitos - somos consumidores?
Pois é! O IDEC (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) organizou tudo num guia. Lá você vai ver que temos direito a tudo isso:









O IDEC APOIA ESSA CAMPANHA!






















Nós buscamos promover participação popular consciente nas tomadas de decisão da cidade de Campinas, com tecnologias sociais e digitais, através de mobilizações sociais e incentivo a comunidades de ação. O transporte público é uma das questões mais importantes do dia a dia da cidade. É fundamental que ele seja pensado com a população.
Para manter nossa independência, não recebemos recurso público, de partidos e empresas concessionárias de serviços públicos. Por isso, precisamos da sua doação para continuar mobilizando!